A minha história espiritual

Até aos meus tempos de universidade, eu nunca duvidei muito em matéria de fé. Era católica e entre altos e baixos cheguei mesmo a ser crismada em Dezembro de 2008. Mas depois de ter um ataque de pânico em Abril de 2010 que me durou quase um ano inteiro resolvi largar definitivamente o deus cristão em 2011, porque ele se tinha tornado uma espécie de “Big Brother” cuja presença eu sentia e me provocava terror devido à sensação de que estava a ser vista e ouvida a todo o momento. Os últimos meses de 2010 foram marcados por este medo imenso.

Eu pedia ajuda mas ele não só não me ajudava como me aterrorizava ainda mais. Acabei por me confessar em Janeiro de 2011 e o pior passou, mas em Março seguinte soube da protecção que os senhores lá de Roma davam à padralhada pedófila e aliando isso à raiva que me dava a hipocrisia deles, que falam de austeridade e moderação mas vivem no maior dos luxos, resolvi bater com a porta.

Agora ando à procura do meu próprio caminho, que inclui elementos de todas as religiões (bem, quase todas!). Estou conectada à Grande Mãe Natureza e acho que tudo Nela é sagrado, mas sobretudo o oceano, a fonte primordial de onde surgiram as primeiras formas de vida há uns 4 biliões de anos.

Aceito a teoria da evolução, as leis da Física e o Big Bang, não acredito em extraterrestres na Terra e gosto de algumas divindades, mas confesso que me é muito fácil falar com uma árvore ou a água!

Agora, é preciso continuar a evoluir!

Advertisements